A importância do autoconhecimento para definir objetivos

image

Esse fim de semana estava conversando sobre o quanto o autoconhecimento, e saber qual é a sua missão, é importante e nos ajuda a direcionar nossa vida.

Então resolvi falar um pouco sobre isso aqui.

Nos conhecer exige dedicação,  exige vontade,  mas é a melhor forma de saber como conduzir a vida. Como sempre digo, tomar consciência tem de ser o passo principal em tudo, para que tenhamos clareza para fazer as escolhas.
Enquanto não se encontra o seu propósito, a sua missão,  o seu por quê,  tudo fica superficial, imediatista. 
Todas as escolhas são feitas na empolgação, os objetivos são definidos sem um real fundamento, e se desiste daquilo na mesma velocidade que se interessou.  Afinal,  tem sempre algo muito interessante surgindo, não é mesmo?
Eu era muito assim com os estudos, começava a estudar um tema, comprava 5 livros, lia 2 ao mesmo tempo, seguia todos os blogs que falavam sobre o tema, na maior empolgação.  3 meses depois estava fazendo tudo de novo com um novo assunto kkkkk.

Até que comecei a buscar entender quem eu era, e pude perceber como eu funciono, o que é importante pra mim e qual é a minha missão. Com isso tenho um caminho claro quando se trata do que vou estudar ou pesquisar, ou todo o resto. 
Quando você consegue entender qual é o seu propósito ou sua missão, e o que  é importante tudo flui nesse caminho. Seus interesses,  as oportunidades que surgem, as amizades que faz,  tudo te levam nessa direção. Não significa que só existe um caminho,  significa que você sabe por que está indo por um ou outro caminho.

Hoje em dia se fala tanto que tem que ter foco, disciplina e determinação para alcançar seus objetivos, e eu concordo! 
Só que posso te garantir que tudo isso será em vão, se você não souber o por quê – e o pra que – de cada um dos objetivos e o que está por trás de cada um deles.

Olhe para dentro, reflita sobre o que é realmente importante para você e então coloque toda sua força em fazer acontecer.  A organização e a produtividade serão a forma de viver e te darão as ferramentas que te propiciação tempo e qualidade de vida para alcançar os objetivos que serão traçados com mais sentido para você. 

Anúncios

Como organizar seu ambiente de trabalho

image

Cada coisa deve ter o seu lugar é a regra nº 01 da organização, assim como uma decisão tomada várias vezes é perda de tempo e energia é o princípio nº 01 da produtividade. Esses dois “mandamentos” estão sempre permeando as minhas ações no dia-a-dia e baseado nisso resolvi falar um pouco sobre a organização do ambiente de trabalho, como minha amiga Camila pediu.

Espaço de trabalho é algo muito particular, ele reflete muito de você, então vamos com um olhar amplo.

O seu ambiente de trabalho, independente do tamanho, tem de ser um local que estimule sua concentração e criatividade. Tem que facilitar a sua vida e não te distrair. Dessa forma, o seu espaço deve conter somente o que vá lhe propiciar isso.

Eu destaco três pontos que precisam ter em seu ambiente: iluminação, sistema de organização (cada coisa ter seu lugar) e arquivo (armário, gavetas).

MÓVEIS
Isso vai depender, depender e depender, rsrsrs. Mas mesa e cadeira são comuns a todos. Busque ter bons móveis, pois eles irão prejudicar ou proteger sua saúde. Não é produtivo trabalhar desconfortável ou com dor. Avalie o que irá te ajudar a ficar confortável, e com uma postura ergonômica, e priorize esses itens. Por exemplo, para mim, que sou baixinha, apoio de pé é essencial para não terminar o dia toda torta e dolorida.

Eu considero importante para um ambiente organizado que tenha algum tipo de arquivo, com armário ou gavetas.

image

Mesmo espaços pequenos são funcionais.

Quem segue no insta sabe que eu adoro gavetas arrumadas, rsrs
Gavetas são excelentes para guardar as coisas que você precisa ter ppr perto, mas não em cima da mesa.

E armários são ótimos para arquivar documentos, contas e papéis de projetos que estão em andamento ou que são usados esporadicamente (ou para consulta).

O tamanho do gaveteiro ou armário dependerá do seu espaço e demanda. Afinal, não justifica ter armários grandes e uma dúzia de gavetas se você não tem tanto volume de papéis e acessórios assim.

Vamos combinar que armário e gaveta não são buracos negros para você esconder a sua bagunça, ok?

MESA
Vou destacar sobre a mesa, pois ela é a peça chave, ela nos ajuda e também pode ser uma grande armadilha. Então sua arrumação é vital para o seu rendimento.

Mantenha em cima da sua mesa só o que for estritamente necessário e tenha um lugar definido para esses itens. Os papéis do projeto que está trabalhando no dia, as canetas, a agenda, o caderno de tarefas, o que for, desde que seja imprescindível.

Olhe agora tudo que tem em cima da sua mesa e classifique em 1-  imprescindível, 2 – necessário e 3 – descartável. O 1 é o que vai ficar sobre a mesa, guarde o 2 na gaveta, ou no armário, e descarte o 3.
Essa avaliação precisa ser diária – no pior dos cenários semanalmente –ok? Por que no turbilhão do dia-a-dia vamos largando as coisas em cima da mesa, é normal, e quando vemos estamos sendo soterrados, kkkk. E a questão é que a nossa mente acompanha o estado da nossa mesa. Repare só como ficamos ansiosas e agitadas quando nossa mesa está bagunçada e não achamos nada – além do tempo que perdemos. Pára e arruma a mesa e nota como se acalma rapidinho. Nossa mente fica confusa com a bagunça e isso drena energia que você poderia estar usando para produzir. Mesmo daqueles que dizem que a sua bagunça é arrumada, rsrsrs.

Sei que não é realista aquela mesa de foto de revista, como essa aí em cima, mas defendo que você tenha um sistema claro (para você) do que deve ou não ficar sobre sua mesa. O local da agenda, local do porta caneta e papel de recado (perto do telefone, please!), o local do seu caderno de tarefas, etc. Assim você ganha tempo, e energia, em vez de ficar procurando as coisas toda vez que for usar ;).
Por exemplo, se seu caderno de tarefas fica sempre no mesmo lugar, mesmo “afogado” em papéis você vai saber onde ele está.

image

AMBIENTE
Garanta que seu ambiente de trabalho tenha os recursos mínimos, de estrutura e de escritório, para o desenvolvimento de suas atividades e persista em mantê-lo arrumado e organizado.
Tenha um quadro na parede para lembretes e/ou calendário e cuide para que a iluminação seja boa, de modo que favoreça a sua visão.
Não tumultue com excesso de itens de decoração e enfeites que só poluem visualmente e dispersam sua atenção.
Sua energia fluirá muito melhor e seu rendimento aumentará se você mantiver a ordem.

Deixe o seu cérebro livre para focar nos seus grandes objetivos, em vez de ficar procurando aquele documento ou uma caneta.

E vamos potencializar sua produtividade!

Agenda Compartilhada

image

Fonte: Google

Com a enxurrada de opções de gadgets que temos hoje é fundamental escolher poucos para aproveitar ao máximo as suas funcionalidades.

Sou muito fã e defensora do papel e caneta, mas nos dias atuais precisamos nos valer das facilidades que a tecnologia nos oferece para dar conta dos papéis que desempenhamos. E verdade seja dita nossa vida está no smartphone, rsrsrs.
Eu uso e muito um aplicativo no celular, a Google Agenda (ou calendar), para garantir o controle dos meus compromissos. Desde a aula do Pilates 2 vezes por semana até melhor festa de final de ano até agora (sim! Já está na minha agenda a festa de dezembro!).

Em outro post te conto a infinidade de recursos da google agenda hoje vamos nos ater a falar da 38ª maravilha moderna do mundo, rsrsrs que é a agenda compartilhada. Se você tem um gmail, você tem acesso a todos os aplicativos do Google, incluindo a agenda.

A principal vantagem é que você pode acessar pelo computador, tablet ou celular e por várias pessoas.

Como o próprio nome já diz, a ideia é que mais de uma pessoa possa acessar – e alterar – as informações cadastradas na agenda de onde quer que esteja.

Como te permite criar várias agendas, você pode definir com quem quer dividir cada uma e definir uma cor que a identifique. Pode até definir quem poderá alterar a agenda.
Assim é possível estabelecer diferentes destinos para cada agenda.
É possível ter uma agenda do filho que os pais compartilham, uma agenda daquele projeto do trabalho com pessoas de diferentes departamentos, uma agenda com as pessoas do administrativo da sua empresa, da secretária com o gestor, uma agenda do casal, e outras mil possibilidades.

Uma agenda compartilhada é uma estratégia muito efetiva para diminuir os problemas de comunicação, por que não fica na dependência da memória das pessoas envolvidas. Você pode consultar pelo celular antes de marcar um compromisso, o que já vai evitar que marque dois compromissos pro mesmo horário, tanto pra você quanto para os demais envolvidos. Afinal, #quemnunca fez altos planos pro fim de semana e depois descobriu que já tinha uma festa marcada a meses, do melhor amigo do seu marido?

Além disso, é uma ferramenta de produtividade incrível porque você consegue ter uma visão clara dos seus compromissos e com quem eles serão. Ficará mais fácil você se preparar para uma reunião daquele projeto, quando ver a cor da agenda dele entre os compromissos da semana seguinte.

É claro que criar uma agenda compartilhada não te dá o direito supremo de marcar compromissos com as pessoas, ou para as pessoas, sem consultá-las. Porém te possibilitará não marcar um almoço de domingo com a sua mãe por que já está agendado – na sua agenda de casal – um almoço de domingo com a sua sogra, ou com o casal de amigos do seu marido. E vai impedir que sua secretária diga, para um cliente importante, que você estará na empresa tal dia quando na verdade estará viajando.

É claro, que estou aqui te contando a minha experiência e a minha opinião, e como todas as opções quando se fala de aplicativos,  a agenda compartilhada precisa ser testada por você. Explore as opções que o Google Agenda te oferece, teste por uma semana para ver o que funciona pra você. Crie a sua – se ainda não usava – e mais duas compartilhadas e programe compromissos mesmo que fictícios. Combine com duas pessoas e testem para ver como se adapta com as diferentes cores que aparecerão no seu calendário, use a opção de visualizar semanal e mensal, teste os tipos de lembrete (e-mail, celular, uma semana, um dia, uma hora, etc) para ver o que e como funcionará para você. E então aplique no seu dia-a-dia.

E vamos combinar, né?  Agenda não se preenche sozinha, nem manda lembretes por pensamento, beleza? Kkk
Quando falo em usar é usar.  Cadastrar os compromissos,  olhar a agenda logo no início e no fim do dia, configurar os lembretes pra quando o compromisso exigir uma preparação e o que mais for necessário.

E você? Já usa agendas compartilhadas? Se sim, conta nos comentários para que finalidade você usa para inspirar outros amigos ;).

Um abraço,
Gheyza Oliveira

O registro dos objetivos de curto, médio e longo prazo te levarão mais longe

image

“Se não importa para onde vai, não importa que caminho vai tomar”. Alice no País das Maravilhas

Ter consciência do que se quer e para quando quer. É disso o que se trata,  para mim, quando falamos de estabelecer objetivos.
Não se trata de nada engessado e quadrado, não é regra que você morrerá se não cumprir exatamente o que escreveu naquele prazo, rsrs. 
É ter uma direção a seguir, para te nortear na hora de fazer escolhas. Seja para que área da vida for, as decisões são mais favoráveis quando elas tem um embasamento. E os objetivos nos ajudam a ter esse embasamento. Se tenho uma meta de economizar x reais por mês por conta do meu objetivo do plano de aposentadoria, isso irá embasar a minha decisão de não comprar algo fora do orçamento, por exemplo.

Objetivo é aquilo que desejamos alcançar  através de uma ação clara e explícita. É aquilo que nos move.  É a nossa bússola. Um objetivo se desdobra em metas, que se desdobra em tarefas e/ou ações.

image

Como você já deve ter percebido, eu sempre bato na tecla de ter a consciência dos seus objetivos. Eu acredito que sem consciência de quem somos e do que queremos, simplesmente seguimos a vida sendo guiados pelos objetivos dos outros. Que nos demandam coisas e necessidades que eles já tem consciência de que precisam. E quando nos damos conta, os anos já passaram e apesar de estar sempre em movimento e “na correria” não alcançamos os nossos grandes sonhos, pelo simples fato de que eles não nortearam as nossas decisões diárias.

Registre seus objetivos, saiba de cor quais são e por que eles são importantes. Tenha os como um norte mesmo.

Então vamos falar sobre a divisão dos objetivos na linha do tempo, os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Objetivos de longo prazo são aqueles objetivos a serem alcançados em um prazo acima de cinco anos. Pode ser 10, 20, 30 também,  rsrs. Aqui entram também os objetivos de vida, além do que se quer ter o que você quer ser. 
A mestra Thais Godinho,  do blog Vida Organizada ,  diz– e eu concordo – que os objetivos de longo prazo devem ir além e incluir os planos pra vida mesmo: objetivos de como quer ser lembrada, como quer ter vivido , o que quer ver quando olhar pra trás no fim da vida. Quer ter tido liberdade financeira?  quer ter sido referência na sua profissão?  quer ter sido o melhor pai, a melhor mãe? quer ter sido muito feliz? Inclua esses objetivos na sua lista. 
Defina quais são os seus objetivos pensando no que quer para daqui a cinco, dez anos, para a sua vida. Tenha em mente as grandes áreas da sua vida – familiar, profissional, espiritual, patrimonial, etc – e defina os seus objetivos.
Agora, defina poucos objetivos de longo prazo para que não se sinta sobrecarregada e desista deles pelo caminho por achar que não dará conta.

Os objetivos de médio prazo são aqueles acima de um ano a até cinco anos. São aqueles desejos que ainda não foi possível realizar por que exige um pouco de planejamento, sabe? Aquela viagem ao exterior, ter filho, casar, ter um carro, etc Lembre-se ao definir os seus objetivos de médio prazo que eles devem contribuir para os de longo prazo, assim fica mais

Os objetivos de curto prazo são o agora, os objetivos para até um ano. São os objetivos mais práticos e do dia-a-dia. Eles são os degraus para os objetivos de médio e longo prazo, é o que você pode fazer hoje para conseguir alcançar aqueles objetivos. Se você colocou como objetivo de médio prazo fazer uma viagem para o exterior, defina um objetivo de curto prazo de juntar x reais por ano ( ou por mês) até a data da viagem e um de estudar o idioma do país pra onde vai, por exemplo.

Uma vez seus objetivos traçados destrinche-os em metas e ações. Por que é aí que a ação começa.

Revise sempre seus objetivos,  eles precisam estar claros na sua cabeça para te conduzir no caminho certo. E não se acanhe de mudar de objetivos,  estamos sempre passando por mudanças, por aprendizados e isso se refletem nos objetivos.

Eles tem de refletir você, ok?

Então mãos a obra!
 

Um abraço,
Gheyza Oliveira

Bullet Journal – o que é e como usar

image

Organização exige vontade e disciplina no início, mas depois torna-se algo natural e orgânico. Quando vira hábito, naturalmente realizamos as atividades de forma mais organizada. Ontem falei com uma amiga, que me dei conta que tenho uma tarefa grande se aproximando e na mesma hora já me “baixou” um check-list rsrsrsrs.

Então, meu convite hoje é para você que quer iniciar uma organização de forma eficiente. Minha amiga Carol me pediu esse post então lá vai.

Conheça o Bullet Journal, ele é uma ferramenta ótima para quem quer iniciar de uma forma mais simples e prática.

Bullet Journal é um sistema que podemos definir como o uso de um caderno que concentra todas, ou quase todas, as suas atividades.  Ele é ideal para pessoas que tem o hábito de espalhar em diferentes locais o que precisa fazer e acaba se perdendo. Sabe aquele monte de “post-it“e papéis de rascunho que você anota e acaba esquecendo onde colocou? Junte tudo no Bullet e tenha controle do que precisa ser feito e de como estão andando os seus projetos.

Normalmente as pessoas usam um caderno estilo “Moleskine” com folhas quadriculadas para o Bullet, como na foto abaixo. Só que ao meu ver você pode começar com o caderno que já tiver aí agora,  afinal o importante é começar. 😉

image

Vamos a como funciona

O sistema ensina a você numerar as páginas do caderno e na primeira página dupla escrever Índice onde irá colocar os meses e ao lado de que página a que página foi. Assim poderá achar mais facilmente as informações indo direto a página,  caso saiba o mês. Escreva só os meses, e no fim de cada mês anote as páginas usadas para aquele mês.  Ex. Março – 25 a 38.
Isso permite começar a qualquer momento a implementação desse sistema em contrapartida da agenda que fica com as páginas em branco.

image

Na próxima página, coloque o mês no topo e liste os dias do mês como número e como letra do dia da semana. Ex. 1- Q, 2 – S. Ao lado de cada dia coloque o objetivo para aquele dia ou a tarefa número 0 (aquela que você morre se não fizer, sabe? kkkkk) . Se preferir, pode deixar para anotar no final do dia e escrever o seu grande sucesso do dia.

image

Na página ao lado já comece o seu bullet propriamente dito. Anote o dia no topo e liste as tarefas a serem realizadas com um quadradinho no início para que você possa marcar quando concluir, como mostra a foto abaixo. Nesse caso, não precisa priorizar, vá listando conforme for lembrando e pode acrescentar ao longo do dia.

image

O sistema tem uma simbologia própria para facilitar a diferenciação dos tipos de atividades,  já que estão todas em lista. Essas da imagem são as básicas e você pode criar a sua própria se preferir, usando cores, inclusive, no lugar dos símbolos.
Como as referências são em inglês segue um mini glossário:

Task = tarefa
Subtask = subtarefa ou ação “desdobrada” de uma tarefa
Event = evento ou compromisso
Explore = pesquisar
Priority = prioridade
Completed = completa
Note = Anotações

image

Quando você não consegue fazer ou terminar a tarefa, você deixa o quadradinho em branco. No dia seguinte você olha a sua lista do dia anterior, e verifica se ficou algum quadradinho em branco e passa para o novo.
Há pessoas que orientam que você leve as tarefas não realizadas em um mês pro outro, eu acho muito tempo e sugiro que leve pro próximo dia, pra não se perder. 

É isso! Viu como é simples?

Você pode incrementar e ter listas fixas de compras, cardápio da semana, livros para ler ou o que sua criatividade mandar. Coloque no índice onde estão para facilitar a busca.

Minhas considerações

Esse sistema é bem funcional para quem está começando a se organizar. Pois é um grande passo por já concentrar os afazeres de uma forma simples e prática.
Para mim, ele é exatamente isso: um primeiro passo simples e fácil, para quem quer criar o hábito de se organizar e já desistiu de agenda e papeizinhos. Que no fim você ainda depende de outros aplicativos, ou da sua memória,  uma vez que ele não te permite já anotar atividades para dias futuros, o que é pouco producente.

Considero que a legenda foi uma ótima solução para que possamos colocar outros tipos de ações no bullet que não seja do tipo “feito ou não feito” dando mais abrangência a lista a ser feita.

E definitivamente o ponto alto do bullet é a flexibilidade,  por serem páginas em branco você pode fazer anotações, abaixo das tarefas daquele dia, sem atrapalhar o dia seguinte.  Então, as anotações de um curso ou reunião vão ter todo espaço do mundo dentro do dia que você participou e estará a mão qd precisar. Pode ainda criar uma lista de um projeto novo no meio do caderno. Ou pode pular os dias de férias e retomar na mesma página quando voltar.

E o ponto baixo é que é totalmente no papel,  se esquecer seu caderno em casa ou no trabalho não terá como resgatar o que precisa fazer. Para minimizar isso, eu sugiro que faça backups regulares escaneando para o evernote assim poderá acessar de onde estiver. 

Um abraço,
Gheyza Oliveira

Técnica Pomodoro

No último post falamos sobre fazer uma tarefa por vez e algumas pessoas devem ter ficado naquela “ah Gheyza! Falar é fácil quero ver na prática”

Antes de tudo quero te lembrar que somos seres de hábitos. Você precisa insistir por um  tempo agindo na nova forma até se acostumar. Ok?

E para te incentivar hoje vou falar sobre a técnica Pomodoro.

Essa técnica foi desenvolvida no final dos anos 80, por Francesco Cirillo, que procurava uma maneira de aumentar sua produtividade. O nome vem de tomate em italiano, por causa dos timers de cozinha que ele usava (e muitos usam até hoje) para marcar o tempo do Pomodoro e do intervalo, que costumam ter o formato de tomate. 

image

Na prática, a Técnica Pomodoro consiste em realizar uma atividade em blocos de 25 minutos, chamados de Pomodoro. Durante os quais você tem que trabalhar em uma única tarefa, com foco total.

É tempo cronometrado mesmo. Coloque um alarme no celular ou um cronômetro remissivo e se concentre exclusivamente na realização daquela tarefa até soar o alarme.

Sabe aquele relatório? A arrumação do guarda roupa? Ler e responder aquele monte de e-mails? Faça uma lista de suas tarefas do dia e  então coloque toda sua concentração em realizar uma até soar o alarme.

Quando soar o alarme pare. Pare mesmo sem terminar.

Descanse por cinco minutos. Levante, alongue-se, retorne as ligações.
Então, inicie um novo Pomodoro.

Após 04 Pomodoros faça uma pausa de 30 minutos.

Para te ajudar a perceber quanto tempo gasta para realizar uma tarefa, você pode colocar um x ao lado de onde a anotou após o término de cada Pomodoro. Assim saberá o tempo que levou para finalizar. 

Eu sei, eu sei que você está aí pensando que eu não tenho ideia do quanto o telefone toca ou te chamam no período de 25 minutos.

Antes de iniciar um Pomodoro avise as pessoas ao seu redor que irá se concentrar em uma atividade e que conta com a colaboração para que não haja interrupção. A menos que seja realmente urgente.  

O mesmo vale para as interrupções internas, afinal a mente não pára.  E parece que quando paramos para fazer algo é que mais lembramos de tudo que temos de fazer, não é? Não interrompa o Pomodoro por causa delas também.  Anote em um papel e mantenha o foco na tarefa que está realizando.
Lembra que alternar de tarefas desperdiça tempo?  😉

Eu penso que a Pomodoro não se aplica a todas as atividades e sim as que de fato precisam de concentração,  dedicação e foco. Não precisa de Pomodoro pra lavar louça ou responder emails corriqueiros, por exemplo.
Já para fazer, ou ler, um relatório, fazer um projeto,  arrumar um armário,  ou outra atividade que precise de total atenção,  a Pomodoro pode ser uma grande aliada para a sua produtividade. E isso depende mesmo da dinâmica de cada pessoa,  e você só vai saber se funciona pra você utilizando algumas vezes.

Experimente!! E me fala nos comentários como foi.

Um abraço,
Gheyza Oliveira

Esquece essa história de multitarefas

image

Cada vez mais os estudiosos de produtividade vem reforçando que não somos seres multitarefas (pois é mulheres nos engaram direitinho kkkkk). 
O fato de fazermos mil coisas ao mesmo tempo não significa que estamos de fato sendo produtivos como podemos ser. Muitas vezes levamos o dobro do tempo para fazer uma tarefa do que levaríamos se estivesse fazendo só ela.

Faz um teste: Cronometre o tempo que você leva para escrever um e-mail enquanto vê TV e fala ao telefone. Depois cronometra o tempo que leva só escrevendo o mesmo e-mail.

Você não consegue colocar sua atenção em diversas coisas ao mesmo tempo. Quantas vezes você já parou de ouvir a conversa no telefone por que algo no computador ou na TV te chamou a atenção? Sua atenção está sempre em uma única coisa, o que acontece é que sobra um resquício de ouvido ou olhar que te parece atenção. 
Quando tentamos fazer várias coisas concomitantemente o que acontece é que perde-se um tempo precioso a cada vez que muda de atividade e perde de novo quando volta, e isso impede que se concentre e renda o seu melhor potencial. Por que existe um tempo necessário para que o cérebro se desligue de um assunto e se concentre no outro. Se você está sempre alternando impede que o cérebro de fato foque e você produza de forma eficaz.

“Onde você foca expande” nos ensina a lei do foco.

Quando você se concentra em uma tarefa por vez, consegue potencializar as suas capacidades para realizá-la, o que leva a concluir muito mais rápido e com melhor qualidade. 

Depois de algum tempo com o foco só naquilo, seu grau de percepção e de concentração aumenta consideravelmente e o cérebro consegue fazer conexões que te auxiliam a chegar na solução ou conclusão do que está fazendo.

É claro, que no dia-a-dia moderno precisamos nos desdobrar em mil e fazemos muitas atividades “no automático”. Não há nada de errado nisso. Só que precisamos ter clareza que não significa que estamos fazendo da melhor maneira e muito menos da maneira mais rápida. Quantas vezes fez um relatório parando para atender telefone ou responder e-mail e depois viu que escreveu algo errado ou pulou palavras? Ou pior, perdeu a linha de raciocínio. 

Retrabalho é sempre uma perda de tempo.

Ah! Vamos combinar que as tarefas e ações que estão diretamente ligadas as suas prioridades NUNCA podem ser realizadas sem concentração e foco, afinal elas são prioridade, ok?.

Experimenta um dia essa semana fazer uma tarefa por vez e depois me conta aqui nos comentários como foi  😉

Um abraço,
Gheyza Oliveira