Os desafios de ficar em casa e como amenizar isso

Estamos vivendo um momento que nos deixou diante de uma realidade muito diferente da que estamos habituados. Nunca imaginamos ficar tanto tempo em casa, em casa mesmo.
Quantas vezes desejamos ficar mais tempo em casa, mas quando surgia uma brecha sempre arrumávamos um programa ou evento para ir? Quantas vezes dissemos que queria mais tempo com a família ou para cuidar da casa?

Agora, diante do isolamento social por conta da pandemia do novo Corona vírus, muitos de nós se deparou – de um dia para o outro – com a condição de ficar exclusivamente em casa, sem data pra que isso mude 😬.

E sendo uma condição que surgiu tão repentinamente e sem perspectiva de quando irá acabar, veio com inúmeros desafios, sem ter nenhum tempo de preparo/planejamento/adequação.

Além de todo contexto externo envolvido (levanta a mão aí quem já perdeu uma noite de sono por conta de toda a insegurança/incerteza que essa doença trouxe 🙋‍♀️🤷‍♀️) nos deparamos com o desafio de estabelecer uma rotina para dar conta de home office, tarefas de casa, refeições, cuidados com as crianças, distrações para as crianças, cuidar da saúde e manter a sanidade mental nesse momento, tudo de uma vez ao mesmo tempo, rsrs.

Mas se formos pensar, aconteceu como acontece a maioria das coisas da vida: independentemente dos nossos planos. Não é mesmo? E agora estamos aqui nos adaptando e buscando lidar da melhor forma que podemos.

Mas nem tudo é só negativo nesse cenário, afinal tem pessoas que não podem ficar em casa e estão na linha de frente se expondo a essa doença todos os dias. Então temos que agradecer a possibilidade de ficar em casa e lidar com desafios que não colocam em risco a nossa vida nem dos que moram conosco.

E o objetivo desse post é trazer algumas ideias de como amenizar esse momento e tirar algum proveito dessa situação para, se der, aprimorar a gestão do seu tempo.

Primeira coisa é se acolher e parar com a cobranças de dar conta de tudo. Não tem como dar conta de TUDO, aceita qur dói menos, rsrs. Esquece essas frases de efeito dizendo que você tem que fazer curso, ler livro, montar um negócio, reformar sua casa, arrumar todos os armários, fazer todas as atividades lúdicas da internet com as crianças e ainda fazer exercício físico e ficar em forma. O dia não passou a ter mais de 24h só por que você não está se deslocando pro trabalho e outros locais.
Então, tenha complacência com você e faça o que for POSSÍVEL e VIÁVEL.

Mantenha uma rotina mínima viável para o seu dia-a-dia. Estabeleça horário de acordar e dormir, horário para trabalhar e para cuidar da casa. Mantendo, claro, a flexibilidade para fazer concessões que se façam necessárias.

Faça alguma atividade que te dê prazer todo dia, nem que seja por alguns poucos minutos. Seja ouvir uma música, passar um creme, comer com calma, falar com alguém ao telefone, ficar um tempo com as crianças, ver algo na tv ou nas redes sociais, meditar, fazer uma prece, o que for que te dê alegria. Faça diariamente algo que te nutra de felicidade. E não precisa ser a mesma coisa todos os dias.

Mantenha sua agenda de trabalho sob controle. Não deixe o trabalho acumular, nem aceite mais demanda do que a sua atual realidade lhe permite realizar. A dinâmica atual já é pressão suficiente não adicione mais componentes para te pressionar e estressar.

Aproveite para experimentar novas formas de organizar o seu tempo e sua rotina.
Sabe aqueles check lists todos que você vê no Pinterest e nunca conseguiu testar? aproveita agora!
Use um aplicativo novo de gestão do tempo para te ajudar a manter o trabalho em dia, incluindo as reuniões e projetos em equipe.
Experimente fazer divisão das tarefas de casa ou ensinar as crianças a ajudarem a cuidar da organização do dia-a-dia. Na medida do possível avalie o que mais funcionou e implemente na sua vida.

Seja o mais realista possível com as pessoas a sua volta. Fale a verdade com a sua família sobre o seu trabalho, fale a verdade com seu gestor sobre a realidade na sua casa. Fale a verdade com você mesma e admita quando não estiver dando conta, peça ajuda ou diga hoje não dá.

E sigamos firmes mantendo o otimismo e a fé de que dias melhores virão em breve.

Tem tem feito algo aí que está ajudando a amenizar essa fase? Conta aqui nos comentários. Pode ser a dica que alguém está precisando.

Nossa vida é definida por nossas escolhas e prioridades

A cada momento da vida escolhemos dar prioridade para algo ou alguma área da nossa vida. E essas escolhas são o que dão o tom do rumo que a nossa vida segue.
Hoje eu quero chamar a sua atenção para essa questão, pois muitas vezes não fazemos essas escolhas de forma consciente, simplesmente somos levados por alguma circunstância, acontecimento ou até mesmo escolhas de outras pessoas.

Época de faculdade, nascimento de um filho, emprego novo ou carreira nova, início ou fim de um relacionamento e outros marcos são claramente momentos em que escolhemos dar prioridade e fica mais fácil perceber que essa escolha está sendo feita.
Mas existem muitos outros momentos em nossa vida que exigem uma escolha e priorização e que o fazemos sem nos dar conta disso.
Na verdade a todo momento estamos dizendo sim pra algo e não pra outro algo e é isso que nos define. Mas o grande ponto é que são escolhas, e devem ser escolhas conscientes, pois isso direciona nossas vidas e interfere diretamente nos resultados que teremos no futuro.
Uma vez assisti uma entrevista com uma dermatologista e ela disse que as manchas que nos queixamos aos 40, 50 anos foram feitas na nossa pele por conta de pegarmos sol sem protetor solar quando tínhamos 20 anos.
Já se pegou pensando em como foi que você parou em determinada situação ou condição? Eu às vezes me questiono sobre isso. Provavelmente foi por conta de uma escolha feita no passado e muito provavelmente de forma desapercebida.

Tenha clareza dos seus objetivos de curto e longo prazo para que ao realizar suas escolhas – grandes ou pequenas – seja de forma consciente (e para isso você precisa estar presente no seu dia-a-dia, falaremos mais sobre isso em outro post) tenha certeza que está priorizando o que é importante pra você e que irá te levar para onde de fato deseja estar.
Observe os motivos que estão te levando a dizer sim pra isso e não pra outra coisa. É mesmo por você? está sendo pautada pelos objetivos/expectativas de outra pessoa? É o melhor a ser feito para o seu momento de vida? Que reflexos isso terá no seu futuro? Irá te levar para mais perto dos seus objetivos? É uma situação provisória ou definitiva? Se não acontecer como você imagina dá pra reverter?
Esteja presente e faça suas escolhas de forma consciente. E nesse momento em que essa epidemia nos convida a nos recolher e olhar pra dentro. Aproveite essa oportunidade para refletir e avaliar as suas escolhas e seus planos para o futuro.

Minhas impressões sobre o Planner Escolha sua Vida

Em Dezembro participei de um evento ao vivo da Coach Paula Abreu, sobre performance, lifestyle e propósito, o Lifestyle Academy.

Vou a esse evento com certa frequência, pois gosto muito, muito mesmo, da metodologia dela e de tirar um tempo para avaliar o ano que está acabando e me conectar com o que estou desejando/planejando ser no próximo ano.

Capa do meu planner

Para minha grata surpresa, esse ano na banquinha de souvenirs tinha um planner exclusivo do Escolha sua Vida. Eu, que nem sou louca por planners 🤗, fiz a dancinha do sambarilove (referência anos 90, temos 🙈) e comprei.
Mas não foi por eu não conseguir resistir a um planner (tá bom, foi por isso também 🙈) mas foi por ele ter uma proposta que não tinha visto em nenhum planner antes. Espaços para reflexão da manhã e da noite, e uma página para reflexão da semana. Em um momento que eu já estava muito reflexiva ele veio como uma ferramenta perfeita para eu colocar minhas rotinas da manhã e da noite nos eixos.

Acabou que por conta da correria de final de ano e a viagem de férias só comecei a usá-lo em janeiro e venho usando quase todos os dias desde então, não tenho usado no fim de semana.
E agora depois de um tempo usando quero compartilhar com vocês as MINHAS impressões. De acordo com a minha realidade de vida, minha rotina diária, e tudo mais que envolve o meu dia-a-dia.

Página diária do planner

Ele é permanente, ou seja, você pode começar a qualquer momento do ano, e achei isso ótimo! Ele tem uma visão diária, com uma área com algumas perguntas para a reflexão de manhã e outras perguntas para a reflexão da noite. O que pra mim foi um ponto negativo, pois para o meu dia-a-dia não funciona mais uma agenda diária.
Ele tem também espaço para reflexão da semana que acabou e de intenção para a semana que vai começar, que eu amei muito, muito, muito. E tem ainda um espaço para avaliação do mês.
Outro ponto negativo é o fato dele não ter páginas suficientes para usarmos o ano todo e já estou super viciada dele 😬😬.

Escolhi dedicar ele para uma área específica da minha vida, o autoconhecimento e conexão com a essência. Que foi uma das minhas prioridades do ano definidas durante o evento. E assim venho usando as reflexões e dedicado o espaço para as ações diárias para essa área da minha vida e tem funcionado bem.

Mesmo sendo mais um planner na minha rotina (já falei aqui como me organizo). Tem sido muito bom para que eu me comprometa a olhar para essa área diariamente. E também de muito aprendizado, pois nem todos os dias consigo ter clareza de como irei me energizar ou do que aprendi no dia. E isso me leva a refletir e perceber os motivos pelos foi mais desafiador ter tal resposta em determinado dia.

É uma ferramenta muito boa e recomendo bastante o uso, só que antes quero ser muito honesta com você e ressaltar que PARA MIM esse é um planner para quem já está comprometida em planejar sua rotina e investir no seu autoconhecimento. Não é uma ferramenta para quem está começando a se organizar ou quer ter a primeira experiência com um planner ou ainda quer usar esse planner para organizar todas as áreas da sua vida.

Mas como disse recomendo muito o planner. E fica a sugestão pra que a Paula Abreu pense em uma versão encadernada com páginas para o ano todo.

E para quem se interessou pelo planner, não sei se ele já está a venda, pois como disse comprei no evento e era lançamento. Mas procurem por ele, ou mais informações, no site do Escolha Sua Vida.

E fica aqui a minha dica (ou seria apelo? 🤗) pra que a Paula faça uma versão encadernada com páginas pro ano todo.

04 anos!!

Essa semana completamos 04 anos! Acredita? 04 anos já! Passou muito rápido para mim 😊
E como todo início de novo ciclo me trouxe muitas reflexões.

Já venho revisitando meus sonhos e objetivos de vida, e isso inclui muito o blog e tudo que ele envolve, desde dezembro. Sabe aquela coisa de nova década? Pegou em cheio por aqui, rsrs, afinal também iniciarei um nova década pessoal e é um marco importante a essa altura da minha vida. Me questionei muito sobre que lembranças quero ter quando essa década acabar.
E essa semana relembrando toda a trajetória desde que decidi criar esse espaço, até entender que esse é o meu propósito, e até o que ele se tornou hoje, – com os desdobramentos que não imaginava nem de longe quando passei aquele carnaval criando esse espaço – fiquei feliz demais pelo caminho que venho trilhando e muito motivada a ir além.
Em 2019 publiquei bem menos aqui, justamente por que estava buscando entender melhor o que importa pra você que está por aqui – afinal quero contribuir ao máximo para quem me lê – e também em que eu quero focar e falar. No fim é disso que se trata né? O encontro perfeito entre o que eu amo falar e o que você tem interesse em ler.
E hoje celebrando tudo que já vivemos nesses 04 anos e entrando com tudo no nosso quinto ano, te digo que em 2020 vamos conversar muito mais por aqui e pelas redes sociais (me siga lá @bloglivre_e_organizada no instagram) e teremos novidades ao longo do ano ;).
E finalizando esse post, quero deixar aqui o meu muito obrigada por estar aqui comigo nesse quarto ano e te convidar a estar aqui no quinto ano para seguirmos na busca por uma vida cada vez mais livre e mais organizada, com mais tempo livre para o que de fato importa!

E a década está acabando. Como foi pra você?

Dezembro já é um mês que nos remete a fechamento de ciclo, afinal um ano inteiro está terminando. E dezembro de 2019 vem com um plus maior, pois encerra uma década.

Quanta coisa acontece em uma década em que – como temos a tendência a ser imediatistas – nem nos damos conta. É uma jornada inteira. Um período em que muito amadurecimento e transformações acontecem em nossa vida.

Já parou pra pensar quanta coisa aconteceu na sua vida nesse período?

Meu convite hoje é para que você dedique um tempo pra anotar tudo de bom e de aprendizado que teve nessa década.
Escreva em um papel tudo que considera importante que aconteceu ou as mudanças que houveram internamente com você e reflita sobre como quer que a próxima década seja.

Vou fazer um outro post contando a minha reflexão.

Mas já sei que quero ser ainda mais realizadora na próxima década e você? O que quer ser nos próximos 10 anos? Me conte nos comentários.

Mais um mês de dezembro chegou

E aqui estamos em mais um mês de dezembro, o novo ano batendo na porta e 2018 dando aquele tchauzinho maroto rs.

Qual o sentimento que dezembro te traz? de felicidade por tudo que conquistou ou de frustração por não ter dado tempo de fazer tudo que desejava?

Se você está feliz ótimo e se está frustrado ótimo também, por que ainda dá tempo de ir além do lugar em que está hoje (mesmo quem está satisfeito pode ir além).
Independente de qual seja o seu sentimento, o fato é que o ano sempre terá 12 meses e criamos expectativas maiores do que damos conta de realizar e além disso deixamos sonhos serem engolidos pela rotina e “correria” do dia-a-dia. Já falamos aqui sobre a diferença entre lista de desejos e planos de ano novo, lembra?

Mesmo 2018 estando se despedindo ainda temos quase 30 dias pela frente para dar um gás naquele objetivo, naquela meta, para alcançar ou ao menos dar início a alguma etapa para a realização.

Meu convite hoje é para você parar tudo e tirar 30 minutos (só 30 mesmo!) para avaliar seus planos para 2018 e ver o que ainda dá para realizar esse mês e partir pra ação.

Sem desculpas ou argumentos de que não dá mais, que isso ou aquilo, simplesmente escreva aí o que você pode fazer nessas semanas para cada meta/desejo que ainda está pendente e escolha uma ou duas ações possíveis para fazer antes de 30 de dezembro. Pode ser começar aquele curso que tanto quer, começar a ler aquele livro, iniciar uma nova atividade, começar a pesquisar para aquela viagem, o que for.

Te garanto que você vai terminar 2018 com muito mais ânimo e já vai começar 2019 no ritmo para realizar todos os seus objetivos. Ah! 2019 é assunto pra ooooutro post 😉.

Aproveita e me conta nos comentários como foi 2018 pra você. Conseguiu se organizar e realizar mais ou está no processo?

O que o Whole 30 me ensinou sobre planejamento e organização

Início de ano sempre dou uma priorizada na minha saúde física, um pouco pela energia de renovação do novo ano e bastante pela culpa dos exageros do final do ano rsrs.

Esse ano escolhi começar fazendo o Whole 30 – um programa de mudança na relação com a comida americano que se popularizou por aqui graças ao pessoal do crossfit – e depois voltar a fazer academia.

O Whole é diferente de uma dieta comum, pois tem um tempo determinado (30 dias) e restringe a gama de alimentos que consumimos aos naturais – frutas, legumes, verduras, proteínas e castanhas – falando de forma muito resumida, e depois nos leva a experimentar os grupos alimentares isoladamente e assim conseguimos perceber os efeitos de cada um em nosso organismo.

E então, além do desafio de me alimentar de uma forma totalmente nova e sem alguns alimentos muito presentes na minha alimentação até então, me vi diante de um outro grande desafio: planejar TODAS as minhas refeições.

No programa os grupos alimentares permitidos devem estar presente em todas as refeições e me vi tendo de pensar com antecedência em todas as refeições do dia seguinte, da semana toda. Algo novo para mim atualmente, já que levo almoço para o trabalho e é minha mãe quem cozinha. Até então era só colocar na marmita o que ela tivesse feito, agora precisava dizer a ela o que eu ía querer levar nos próximos 02, 03 dias.

Precisei também avaliar e planejar as refeições que levaria de manhã de acordo com a minha rotina (que é não ter rotina rsrs) já que a possibilidade de flexibilidade para comer na rua ou onde eu fosse era bem limitada. Então, se fosse voltar pra casa tarde da noite precisava levar todas as refeições do dia comigo. Sempre avaliando a variedade para não correr o risco de gerar deficiência de alguma vitamina ou nutriente durante o programa. Ou seja, eram muitas variáveis envolvidas.

Aprendi muito nesses 30 dias, sobre mim, sobre padrões de comportamento, sobre alimentação, sobre organização e sobre planejamento. E é sobre esses dois últimos que quero dividir com vocês hoje.

Depois posso fazer um outro texto com outros detalhes, se quiser saber mais me fala nos comentários 😉

minha perda de peso no programa (para te inspirar)

Planejamento

Como disse, me deparei com a necessidade de planejar essa área de uma forma que nunca tinha feito antes. E olha que já fiz dieta com acompanhamento de nutricionista quando morava sozinha.

E agora pude perceber o quão importante é planejar as nossas refeições, independente de estar em uma dieta ou não, e é algo que raramente fazemos. E venho refletindo como muito do excesso de peso vem disso, de não ter um plano para nos alimentar e simplesmente comemos o que tiver ou aparecer e aí.

E não estou falando aqui só das compras de supermercado ou de pensar o que e quando vai cozinhar não, mesmo reconhecendo que isso é parte fundamental de um bom planejamento. E era o que eu achava suficiente quando fazia dieta.

O que aprendi me mostrou além, estou falando de pensar que tipos de alimentos irão compor cada uma de suas refeições – frutas, proteínas, fibras, gorduras boas e etc -, que os alimentos escolhidos garantam os nutrientes e vitaminas necessários ao fim do dia, que a composição das refeições não pode ter uma quantidade de calorias exagerada, que precisa conhecer os grupos alimentares e os efeitos para compor as refeições, que tem de saber a combinação que irá propiciar o melhor aproveitamento dos nutrientes, de saber o que vai precisar cozinhar e em que dias isso será necessário – ou que você terá tempo para isso -, de saber os dias em que precisará levar refeições e lanches com você pois vai estar em locais que não terá opções saudáveis, de avaliar mesmo sua agenda e tarefas para cruzar e adequar os horários de suas refeições, enfim estou falando de dedicar tempo e atenção para a alimentação. E assim ter certeza que estará fazendo as melhores escolhas para nutrir o seu corpo e não só atendendo o seu emocional ou só comendo por que precisa.

Sabe a história do “não tenho tempo”? Precisamos mudar isso na nossa alimentação, estamos nos deixando levar em uma roda viva que está nos prejudicando muito mais do que ajudando.

Você pode escolher não cozinhar em casa e se alimentar na rua ou pode escolher intercalar ou qualquer outra possibilidade, o que não pode é abrir mão de cuidar do tipo de combustível que está colocando no seu corpo e só conseguirá isso tendo clareza do que precisa e deve comer com antecedência, com consciência, sem se deixar levar pela aparência ou cheiro. Então planeje sua alimentação todos os dias, se sabe que marcou de jantar fora e que vai extrapolar já planeje as outras refeições do dia para que o jantar tenha menos impacto no seu organismo.

Organização

Na minha visão a vida precisa de um sistema de organização para acontecer de modo mais fácil e nesse caso não foi diferente. Um planejamento precisa ser bem executado e pra isso precisamos nos organizar.

Se não de nada adianta todo o planejamento, será só perda de tempo.

Com o Whole aprendi o quão é fundamental ter um mínimo de organização com a alimentação. Eu contei muito com a ajuda da minha mãe no preparo e até nas compras dos alimentos e mesmo assim tive de separar tempo para ir ao sacolão aos sábados, para ir comprar as castanhas, para montar meus muitos potinhos toda noite – com consciência do que havia planejado – e organizar os horários das refeições de acordo com as atividades do dia para não ficar horas demais sem comer, me organizar para levar comida e frutas inclusive para os eventos.

Em vez de chegar em casa e manter o automático de comer algo doce por que estava cansada e ir dormir passar a dedicar uns minutos para preparar uma salada pra levar pro trabalho no dia seguinte ou cozinhar os ovos para o café de manhã, me mostrou que quando queremos e nos organizamos, conseguimos tempo pra tudo que colocamos como prioridade. E afinal, o que pode ser mais prioridade do que cuidar da nossa saúde e do nosso corpo? Então, te convido a saber o que irá comer na sua próxima refeição e onde será feita em vez de passar no primeiro fast-food que aparecer. Te convido a saber na noite anterior (ou duas noites antes) o que irá comer no café da manhã para te nutrir, em vez de comer um monte de biscoitos/pães/ torradas por que já tinha comprado e não estraga. Tire um tempo para elaborar ou separar seus alimentos, você verá que é muito menos tempo do que imagina e os efeitos serão surpreendente.

Agora estou na fase de reintrodução dos alimentos, que haviam sido restringidos nos 30 dias, que ainda faz parte do Whole. No programa você inclui um grupo alimentar em um dia e passa dois dias no Whole antes de experimentar outro grupo.

O que vem exigindo mais planejamento dos dias de experimentar cada grupo na rotina, pois nunca se sabe os efeitos que sentirá, e mais uma vez planejamento e organização estão presentes e serão vitais para o alcance dos objetivos de conhecer os efeitos dos alimentos no meu organismo e metabolismo.

Depois conto os aprendizados dessa fase 😉