A bagunça externa pode ser reflexo da bagunça interna

Ouvi essa frase do título outro dia e ela fez muito sentido para mim. Sempre falo que a mesa de trabalho bagunçada nos deixa confusas, que a bagunça tira o nosso foco, etc. E quando refleti sobre essa frase me dei conta que muitas vezes a bagunça pode não ser só resultado de correria e desorganização. Pode muito mais ser reflexo de um estado emocional, de como a mente anda funcionando, do quanto se está internamente confusa. 

E isso se reproduz no exterior em forma de desorganização.

E como sabemos, não se restringe a mesa, mas se repete nos armários, gavetas e na vida.

image

Sabe a história do automático? Simplesmente vamos vivendo de acordo com o que as circunstâncias, ou pessoas, nos levam, sem nem ao menos perceber o quanto isso está pesando. Os dias e meses passam e você olha a bagunça e diz que não tem tempo para arrumar e ela só aumenta e você diz que está muito ocupada para arrumar. Tem sempre um bom motivo para justificar o estado daquele espaço.

E fica sempre agitada e acelerada (ou sem energia para nada) por que tem de dar conta de muitos afazeres e responsabilidades e que não consegue dar conta de organizar os espaços. E o tempo passa e a bagunça só aumenta e te incomoda ao ponto de você dar um jeitinho, mas não organizar de fato.

E o círculo vicioso se perpetua, por que de verdade tem um porquê por trás que não fica tão evidente às vezes.

Experimente se perceber quando identificar um espaço, ou ambiente seu desorganizado. Como está a sua mente? E os seus sentimentos?  Quais as suas prioridades? O caminho que sua vida está indo te deixa feliz ou inquieta (ou frustrada)? O que a desorganização ali representa para você? 

Avalie e trace novos rumos, ou mude a forma de enxergar e se sentir com a situação que te levou a isso. Se não puder sozinha peça ajuda, tanto para organizar o espaço como para te ajudar a não bagunçar de novo.

Tenho certeza que você terá muito mais energia e disposição e manter a organização vai ser um prazer pra você,  pois vai saber o que isso representa. 

Arregace as mangas e mãos à obra, combinado??  😉

Anúncios

É hora de revisar as resoluções de ano novo

Hoje entramos na última semana de abril, e atingimos o primeiro 1/3 de 2016.

Pois é,  120 dias já se foram!

image

É um momento perfeito para revisar nossos planos e objetivos traçados para 2016.

Está bem, está bem, sei que você – organizada que é – vem acompanhando mensalmente o andamento dos seus objetivos ;).  Mesmo assim aí vai esse post, rsrs

Os marcos do ano são muito bons para uma reflexão.  Quanta coisa já aconteceu na sua vida nesses 04 meses! Já parou pra pensar? Ou está só vivendo um dia depois do outro?

Pare um pouco, tire um tempo pra você e reflita: O que mudou na sua vida? Seus planos ainda são os mesmos? O que mudou? O que se manteve? Qual objetivo ficou meio de lado? Qual está caminhando bem? Qual precisa de um gás?  Qual já foi alcançado?  O que surgiu de novo? Reflita do por quê de cada objetivo estar no patamar em que está.
O que isso diz sobre você e seu momento de vida?  Está dando o seu melhor ou está se sabotando? Está encarando com coragem ou está sendo vencida pelo medo?

Após esse momento de reflexão e avaliação vamos por as mãos na massa!! E definir como serão os próximos 2/3 do ano, afinal os marcos também são de início, certo? 
Trace estratégias e planeje as ações para os objetivos, os novos ou os que foram revistos.

image

Defina novos prazos,  o percentual de realização até o fim do próximo 1/3 do ano e como vai celebrar se cumprir. Estabeleça pequenas etapas para cada objetivos e acompanhe regularmente. Quando você acompanha pode recalcular a direção no caminho em vez de ter de recomeçar. 

Ah! E COMEMORE!  Celebre as metas alcançadas,  os objetivos que estão andando bem, o que já conquistou, sua determinação, tudo que já viveu e aprendeu em 2016! 

E celebre que ainda tem muito ano pela frente!!!

Vamos em frente usufruir tudo que 2016 ainda tem para nos oferecer!!  Vamos juntas?

A importância do autoconhecimento para definir objetivos

image

Esse fim de semana estava conversando sobre o quanto o autoconhecimento, e saber qual é a sua missão, é importante e nos ajuda a direcionar nossa vida.

Então resolvi falar um pouco sobre isso aqui.

Nos conhecer exige dedicação,  exige vontade,  mas é a melhor forma de saber como conduzir a vida. Como sempre digo, tomar consciência tem de ser o passo principal em tudo, para que tenhamos clareza para fazer as escolhas.
Enquanto não se encontra o seu propósito, a sua missão,  o seu por quê,  tudo fica superficial, imediatista. 
Todas as escolhas são feitas na empolgação, os objetivos são definidos sem um real fundamento, e se desiste daquilo na mesma velocidade que se interessou.  Afinal,  tem sempre algo muito interessante surgindo, não é mesmo?
Eu era muito assim com os estudos, começava a estudar um tema, comprava 5 livros, lia 2 ao mesmo tempo, seguia todos os blogs que falavam sobre o tema, na maior empolgação.  3 meses depois estava fazendo tudo de novo com um novo assunto kkkkk.

Até que comecei a buscar entender quem eu era, e pude perceber como eu funciono, o que é importante pra mim e qual é a minha missão. Com isso tenho um caminho claro quando se trata do que vou estudar ou pesquisar, ou todo o resto. 
Quando você consegue entender qual é o seu propósito ou sua missão, e o que  é importante tudo flui nesse caminho. Seus interesses,  as oportunidades que surgem, as amizades que faz,  tudo te levam nessa direção. Não significa que só existe um caminho,  significa que você sabe por que está indo por um ou outro caminho.

Hoje em dia se fala tanto que tem que ter foco, disciplina e determinação para alcançar seus objetivos, e eu concordo! 
Só que posso te garantir que tudo isso será em vão, se você não souber o por quê – e o pra que – de cada um dos objetivos e o que está por trás de cada um deles.

Olhe para dentro, reflita sobre o que é realmente importante para você e então coloque toda sua força em fazer acontecer.  A organização e a produtividade serão a forma de viver e te darão as ferramentas que te propiciação tempo e qualidade de vida para alcançar os objetivos que serão traçados com mais sentido para você. 

Como eu me organizo

Para mim organização é ter certeza de que minha vida não está sendo desperdiçada com o que não acrescenta conhecimento nem com o que me afasta dos meus objetivos. Algumas pessoas me perguntam como eu me organizo.  Eu sempre digo que minha organização está em constante mudança e depende do meu momento de vida.
Porque eu acredito que a organização é um modo de vida e ela tem de seguir a sua realidade e as suas mudanças.  Se estou em um momento de poucos projetos e atividades a organização exigirá menos recursos. Já quando estou com mais preciso de mais recursos.
Mesmo sendo bem tradicional e tendo uma base de organização bem fixa, eu gosto muito de experimentar novas opções, principalmente quando são recomendadas pelas pessoas que são referências para mim nesses temas. Algumas eu incorporo, outras entendo que não são pra mim e vou seguindo.
Então vou falar do que estou usando atualmente para me organizar.

AGENDA
Esse ano estou usando três agendas. Sim! Três agendas! :mrgreen: Duas físicas e uma digital.
Calma,  eu não rasguei os mandamentos da organização kkkkk, vou explicar.  Nos últimos anos o meu uso da agenda de papel mudou muito e incorporei o caderno de tarefas a ela.
Então,  hoje minhas agendas são o que norteiam o meu dia. Eu anoto as tarefas com datas – ou seja,  tudo que tenho que fazer em determinado dia – na agenda.
E uso o caderno de tarefas só para aquelas que não tem prazo.
Por isso tenho duas. Uma para o trabalho e outra para o pessoal e os outros projetos. 

E a digital é destinada aos compromissos de fato. Uso a Google Agenda, pois posso ter várias (em alguns momentos separo as de algum projeto específico), e compartilhar. 

image

A agenda do trabalho é um planejador semanal como falei nesse post.   E é nela que vejo tudo que tenho que fazer no dia. Desde um novo projeto a responder/enviar um email.
A agenda pessoal é um planner, com visão semanal também, e que comanda todo o resto da minha vida, rsrs. De publicar aqui no blog a marcar uma consulta,  passando por dar parabéns a fulano.

O planner,  inclusive,  é algo que estou testando. Sempre usei agenda diária e no ano passado usei um planner em arquivo – que vc imprime as páginas conforme precisa – e esse ano estou usando um completo. No fim do ano conto pra você qual vai ser o eleito para o ano que vem, se não surgir uma outra opção para testar kkkkk.

Na sexta-feira eu tiro um tempo no fim do dia para anotar na agenda do trabalho o que terei de fazer na próxima semana em cada dia. Sempre deixando uma margem para os imprevistos, afinal trabalho no RH gente kkkkk. E todo dia batalho para ticar todas as tarefas planejadas para ele. E não termino a semana sem estar com todas as tarefas cumpridas e ticadas (ticar é como chocolate pra quem é organizada 😝😝).  E no domingo faço o mesmo com a agenda pessoal. Claro que nas duas ao longo da semana vou acrescentando o que surge e já anoto algo que tenha de fazer em algum dia da semana seguinte, só que dedico um tempo específico para planejar a próxima semana.  Afinal,  planejando é que garantimos o andamento da realização dos nossos objetivos,  lembra? 😉

FINANÇAS
Eu sempre digo que se você não controla as finanças elas te atropelam.
Eu vigio as minhas bem de perto.

Mesmo sendo uma boa gastadeira, sei exatamente onde meu dinheiro vai e digo com muito orgulho que não perco o prazo de pagar minhas contas.

Eu uso planilha de controle há anos e adoro. Só que como boa fã do papel, uso um caderninho para anotar diariamente os meus gastos do dia-a-dia, e depois passo para a planilha. Nele divido em 04 categorias básicas: crédito,  débito,  ticket e dinheiro. E na planilha sigo as categorias lá definidas,  que são baseadas no tipo de despesa e não em como foram pagas.
Esse ano estou experimentando o Kakebo, que é um método japonês consolidado em formato de livro, esse da foto aí embaixo. Ele une as duas formas que uso – o gasto diário e as contas mensais – além de propor metas para cada mês.  Estou gostando muito, depois vou fazer um post explicando mais sobre ele.

image

PRODUTIVIDADE
Nos tempos modernos a quantidade de opções de aplicativos e gadgets é absurda.  Tenho sempre o cuidado de não me deixar levar, pois se você não vigiar fica com a vida fatiada pra todos os lados.
Para a parte de produtividade e gestão do tempo uso três itens,  sendo dois no celular e um no computador.  No micro uso o Neotriad, do Christian Barbosa, que é um sistema de gerenciamento de tarefas,  projetos e compromissos. Apesar dele ser muito completo e oferecer relatórios incríveis eu o uso, basicamente, para as tarefas do trabalho, pois o uso no computador, para medir o tempo de execução das tarefas. 

Você não consegue se planejar de forma adequada, se não souber quanto tempo leva para executar cada tarefa.

No celular uso o Notes, que já vem no Android,  para anotações rápidas e lembretes quando não estou com a agenda em mãos. Ele é o meu caderno de anotações.
E também no celular uso o Evernote (que também uso no micro quando preciso)  que hoje é o meu principal gerenciador de arquivos. Ele é um sistema de gerenciamento muito completo e com mil possibilidades de adaptação segundo a sua necessidade, que tem como ponto principal a sincronização dos dados entre celular, web e computador. Todo material que escrevo, que consulto,  que guardo, que quero ter acesso rápido, etc, está nele.  Se você me emprestar um livro hoje quando eu te devolver as partes que mais se destacaram pra mim estarão no evernote, com uma etiqueta com o nome do livro dentro do caderno de livros lidos. Os meus rascunhos dos posts pra cá são escritos lá.  O link para a inscrição do Treinamento Você está salvo lá.  Enfim,  muita coisa está lá,  rsrs  e te digo que ainda tenho muito a evoluir no uso dessa ferramenta, pois as opções são muitas.

QUANDO O BICHO PEGA
Às vezes,  tudo acontece ao mesmo tempo e você tem a sensação de que não vai dar conta de fazer e lembrar de tudo que precisa.

Quando minha vida está assim eu dou Graças a Deus por ter minha rotina estruturada e recorro a todas as memórias auxiliares que posso.
Me valho do alarme do celular,  já experimentou? Quando tenho que lembrar de pegar alguma coisa em casa a noite pra levar pro trabalho,  por exemplo,  eu programo um alarme para o horário que sei que estarei em casa.

E recorro ao meu adesivo lousa, da foto abaixo, que fica na porta do meu armário. Nele anoto aquilo que tenho de lembrar até fazer (mesmo que seja me lembrar de ser grata) por alguns dias. Normalmente eu uso quando mudo a rotina matinal ou noturna, ou quando tenho que fazer a declaração do IR, rsrs, por exemplo.

image

É isso! É assim que eu me organizo.  Não sou uma control freak que acho que vai morrer se não estiver com tudo nos trilhos.  Só busco me valer de soluções que me ajudem a ter tempo para fazer tudo que preciso e administrar a minha vida da melhor forma possível. 

O registro dos objetivos de curto, médio e longo prazo te levarão mais longe

image

“Se não importa para onde vai, não importa que caminho vai tomar”. Alice no País das Maravilhas

Ter consciência do que se quer e para quando quer. É disso o que se trata,  para mim, quando falamos de estabelecer objetivos.
Não se trata de nada engessado e quadrado, não é regra que você morrerá se não cumprir exatamente o que escreveu naquele prazo, rsrs. 
É ter uma direção a seguir, para te nortear na hora de fazer escolhas. Seja para que área da vida for, as decisões são mais favoráveis quando elas tem um embasamento. E os objetivos nos ajudam a ter esse embasamento. Se tenho uma meta de economizar x reais por mês por conta do meu objetivo do plano de aposentadoria, isso irá embasar a minha decisão de não comprar algo fora do orçamento, por exemplo.

Objetivo é aquilo que desejamos alcançar  através de uma ação clara e explícita. É aquilo que nos move.  É a nossa bússola. Um objetivo se desdobra em metas, que se desdobra em tarefas e/ou ações.

image

Como você já deve ter percebido, eu sempre bato na tecla de ter a consciência dos seus objetivos. Eu acredito que sem consciência de quem somos e do que queremos, simplesmente seguimos a vida sendo guiados pelos objetivos dos outros. Que nos demandam coisas e necessidades que eles já tem consciência de que precisam. E quando nos damos conta, os anos já passaram e apesar de estar sempre em movimento e “na correria” não alcançamos os nossos grandes sonhos, pelo simples fato de que eles não nortearam as nossas decisões diárias.

Registre seus objetivos, saiba de cor quais são e por que eles são importantes. Tenha os como um norte mesmo.

Então vamos falar sobre a divisão dos objetivos na linha do tempo, os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Objetivos de longo prazo são aqueles objetivos a serem alcançados em um prazo acima de cinco anos. Pode ser 10, 20, 30 também,  rsrs. Aqui entram também os objetivos de vida, além do que se quer ter o que você quer ser. 
A mestra Thais Godinho,  do blog Vida Organizada ,  diz– e eu concordo – que os objetivos de longo prazo devem ir além e incluir os planos pra vida mesmo: objetivos de como quer ser lembrada, como quer ter vivido , o que quer ver quando olhar pra trás no fim da vida. Quer ter tido liberdade financeira?  quer ter sido referência na sua profissão?  quer ter sido o melhor pai, a melhor mãe? quer ter sido muito feliz? Inclua esses objetivos na sua lista. 
Defina quais são os seus objetivos pensando no que quer para daqui a cinco, dez anos, para a sua vida. Tenha em mente as grandes áreas da sua vida – familiar, profissional, espiritual, patrimonial, etc – e defina os seus objetivos.
Agora, defina poucos objetivos de longo prazo para que não se sinta sobrecarregada e desista deles pelo caminho por achar que não dará conta.

Os objetivos de médio prazo são aqueles acima de um ano a até cinco anos. São aqueles desejos que ainda não foi possível realizar por que exige um pouco de planejamento, sabe? Aquela viagem ao exterior, ter filho, casar, ter um carro, etc Lembre-se ao definir os seus objetivos de médio prazo que eles devem contribuir para os de longo prazo, assim fica mais

Os objetivos de curto prazo são o agora, os objetivos para até um ano. São os objetivos mais práticos e do dia-a-dia. Eles são os degraus para os objetivos de médio e longo prazo, é o que você pode fazer hoje para conseguir alcançar aqueles objetivos. Se você colocou como objetivo de médio prazo fazer uma viagem para o exterior, defina um objetivo de curto prazo de juntar x reais por ano ( ou por mês) até a data da viagem e um de estudar o idioma do país pra onde vai, por exemplo.

Uma vez seus objetivos traçados destrinche-os em metas e ações. Por que é aí que a ação começa.

Revise sempre seus objetivos,  eles precisam estar claros na sua cabeça para te conduzir no caminho certo. E não se acanhe de mudar de objetivos,  estamos sempre passando por mudanças, por aprendizados e isso se refletem nos objetivos.

Eles tem de refletir você, ok?

Então mãos a obra!
 

Um abraço,
Gheyza Oliveira

Planilha de Orçamento Pessoal

image

Fonte: Google

Acredito que somos a nossa própria empresa – a primeira e mais importante empresa.
Na questão financeira, assim como as empresas temos receitas e despesas, contas, planos,  credores, devedores.
A nossa única diferença para as empresas é que não controlamos nosso orçamento! Como pode isso??

Você consegue imaginar uma empresa que gasta mais do que ganha? Que não pague seus fornecedores? Que não saiba qual é o seu faturamento? Ou que não faça a gestão do seu orçamento??
Então por que imagina que você,  sua própria e mais importante empresa,  pode essas coisas???

Assim como as empresas, precisamos cuidar de nossas finanças, ter clareza do nosso orçamento. Saber o quanto entra e como está sendo gasto/investido o nosso dinheiro. Isso nos permite gerir o nosso orçamento,  fazer planos conscientes para o futuro. Afinal, a maioria dos nossos sonhos e planos envolvem dinheiro,  não é verdade?

Para que isso seja possível e viável, hoje eu sugiro o uso de uma planilha de controle do orçamento pessoal.

Existem inúmeras opções de planilhas já prontas na Internet pra você pegar ou você pode criar a sua. Pode ser em um caderno como na imagem abaixo, se você prefere o papel.
Baixei essa  aqui do Idec pra você já colocar a mão na massa.

image

Na prática,  a ideia da planilha é que você tenha uma visão completa das suas finanças.  Contas, gastos, investimentos,  tudo ali a sua vista, onde vai cada centavo. Ok, ok, cada real vai kkkkk

Vamos lá então.

Liste todas as suas receitas.  Tudo que você recebe – salário,  lucro de vendas, aluguel,  mesada, pensão, etc – coloque o valor ao lado e a data prevista para receber (assim poderá planejar os pagamentos).
Liste então,  todas as suas despesas fixas. Aquelas que você paga todo mês e o valor não muda – aluguel, condomínio,  celular, etc -.
Depois liste todas as despesas fixas variáveis.  Aquelas contas que você paga todo mês e o valor muda – luz, água,  cartão de crédito,  etc -. Faça uma média dos últimos três meses para estimar o valor que colocará na planilha.
No caso do cartão de crédito, anote ao longo do mês anterior o que comprou e saberá quanto será a próxima fatura.
E finalmente defina algumas linhas para as despesas pontuais. Coisas como restaurantes, cinemas, presentes de aniversário, comprinhas, etc.
Como assim você não sabe quanto gasta com essas coisas?!? É,  agora entendo pq você diz que não sabe onde seu dinheiro está indo. Você realmente NÃO SABE 😱😱

Tome consciência!!! 

Tome consciência de quanto está gastando com esse tipo de despesa, por que normalmente é aí que as coisas se perdem. São 20 reais em uma blusa aqui, 60 reais em um presente ali e quando vê já se foi 30, 40% do seu orçamento. 
Tenha um valor estimado em sua planilha para esses gastos,  inclusive se for pagar no cartão de crédito. 
Afinal, em uma empresa até o lanche dos funcionários são calculados pelo empresário,  não são?? 

Agora, tire um tempo e alimente a sua planilha de forma consciente.  Coloque valores reais e não o que você gostaria que fosse. Ao longo do mês cheque se o que pagou foi o que previu, se não foi altere o valor na planilha. 
Seja realista no preenchimento e não se cobre demais agora, pois precisa saber de fato como as coisas estão para então começar a gerir seu orçamento. 

Agora, mais uma vez te lembro que somos seres de hábitos, nada muda da noite pro dia.
A planilha não vai se alimentar sozinha e nem controlar seu orçamento por você.  É preciso dedicação e persistência para se habituar a usar a planilha.  Tanto para alimentá-la, quanto para se ater aos valores estipulados ao longo do mês.

Claro que emergências surgem e são emergências, só que vamos combinar que jantar com os amigos ou aquele blusa irresistível não são emergências, ok?
Seja detalhista no primeiro preenchimento da planilha – coloque quantas linhas achar necessárias,  e inclua ou retire no futuro – para que abranjam suas receitas, despesas, poupança e investimentos. Assim poderá ter uma visão completa de suas finanças em um mesmo lugar. Isso tornará mais eficaz a gestão do seu orçamento e o planejamento do futuro.

Mas a gestão do orçamento vai ficar pra um próximo post. 😉

Alimente sua planilha e me conta nos comentários como foi.

Um abraço,
Gheyza Oliveira

05 dicas para iniciar a organização financeira

Pedi para os meus amigos comentarem que tema gostariam de ver aqui. E atendendo aos pedidos da Lara e da Claudia 💜💜💜, hoje vamos falar sobre organização financeira.

image
Foto: Pinterest

Início do ano fazemos muitos planos e a maioria deles envolvem dinheiro.  Aí vem aquela questão: como vou dar conta de ter dinheiro pra tudo isso? Para responder, você precisa conhecer sua vida financeira e o que ela comporta e como pode ampliar.

Hoje vou trazer cinco dicas para iniciar a organização das suas finanças pessoais.

1 – Tomar consciência
Sem saber em que pé está não tem como organizar. 
Coloque tudo no papel ou arquivo digital.
Liste tudo que você tem de gastos fixos e variáveis, de dívidas, de renda, de poupança,  tudo mesmo.
E avalie como está a sua vida financeira, como um todo, para você. Pois não existe certo ou errado, existe o que é ideal pra você.  Perceba se ela te satisfaz ou não. 

2 – Escolha uma forma de gerir
Escolha uma forma pra gerir e controlar seus gastos e progressos. Uma planilha,  um caderno, um aplicativo, o que for mais confortável pra você. 
Coloque suas rendas, seus gastos fixos e o seus objetivos. 

Defina seu orçamento mensal.

Se comprometa a lançar os gastos todos os dias.  Disciplina não é opcional, quando se trata de finanças.

3 – Trace metas mensais
Quando pensamos em relação a finanças, costumamos ficar muito no campo dos sonhos. Fazer aquela viagem, ser rica, comprar um carrão,  rsrsrs

Avalie os seus objetivos e defina metas mensais para as suas finanças, assim poderá perceber a evolução. 
Pode ser quitar uma dívida, ficar no orçamento, economizar um valor, iniciar um novo investimento, depositar um valor na poupança, comprar algo, etc, etc.

4 – Avalie seus gastos
Com regularidade confira seu controle e avalie se seu dinheiro está indo pra onde você quer.
Perceba quantas compras por impulso fez ao longo do mês, ou se está conseguindo juntar para aquela viagem como planejou.
Assim poderá corrigir o curso antes que desande ou pode comemorar por estar no curso esperado.

Aliás, comemorar é nossa quinta dica!

5 – Comemore
Comemore seus avanços!

Gerir as finanças não significa que você vai passar a ter uma vida sofrida de privações para juntar dinheiro.  Não é sofrer agora para usufruir no futuro, é equilibrar o presente e o futuro segundo as suas aspirações e sonhos. Nem tudo agora, nem tudo no futuro.

Conseguiu quitar aquela dívida?  Comemore!
Ficou dentro do orçamento no mês?  Comemore!
Não estorou o cartão de crédito?  Comemore!

Isso te servirá como incentivo para continuar seguindo no caminho. 
Iniciar a organização exige vontade, você tem de querer mesmo e se esforçar até que se torne um hábito. Então, cada avanço e conquista merece ser muito comemorada.

E então?  Vamos arregaçar as mangas e começar???

Depois, farei outros posts sobre esse tema, me digam nos comentários sobre o que quer que eu escreva ou a sua dúvida. 

Um abraço,
Gheyza Oliveira