Técnica Pomodoro

No último post falamos sobre fazer uma tarefa por vez e algumas pessoas devem ter ficado naquela “ah Gheyza! Falar é fácil quero ver na prática”

Antes de tudo quero te lembrar que somos seres de hábitos. Você precisa insistir por um  tempo agindo na nova forma até se acostumar. Ok?

E para te incentivar hoje vou falar sobre a técnica Pomodoro.

Essa técnica foi desenvolvida no final dos anos 80, por Francesco Cirillo, que procurava uma maneira de aumentar sua produtividade. O nome vem de tomate em italiano, por causa dos timers de cozinha que ele usava (e muitos usam até hoje) para marcar o tempo do Pomodoro e do intervalo, que costumam ter o formato de tomate. 

image

Na prática, a Técnica Pomodoro consiste em realizar uma atividade em blocos de 25 minutos, chamados de Pomodoro. Durante os quais você tem que trabalhar em uma única tarefa, com foco total.

É tempo cronometrado mesmo. Coloque um alarme no celular ou um cronômetro remissivo e se concentre exclusivamente na realização daquela tarefa até soar o alarme.

Sabe aquele relatório? A arrumação do guarda roupa? Ler e responder aquele monte de e-mails? Faça uma lista de suas tarefas do dia e  então coloque toda sua concentração em realizar uma até soar o alarme.

Quando soar o alarme pare. Pare mesmo sem terminar.

Descanse por cinco minutos. Levante, alongue-se, retorne as ligações.
Então, inicie um novo Pomodoro.

Após 04 Pomodoros faça uma pausa de 30 minutos.

Para te ajudar a perceber quanto tempo gasta para realizar uma tarefa, você pode colocar um x ao lado de onde a anotou após o término de cada Pomodoro. Assim saberá o tempo que levou para finalizar. 

Eu sei, eu sei que você está aí pensando que eu não tenho ideia do quanto o telefone toca ou te chamam no período de 25 minutos.

Antes de iniciar um Pomodoro avise as pessoas ao seu redor que irá se concentrar em uma atividade e que conta com a colaboração para que não haja interrupção. A menos que seja realmente urgente.  

O mesmo vale para as interrupções internas, afinal a mente não pára.  E parece que quando paramos para fazer algo é que mais lembramos de tudo que temos de fazer, não é? Não interrompa o Pomodoro por causa delas também.  Anote em um papel e mantenha o foco na tarefa que está realizando.
Lembra que alternar de tarefas desperdiça tempo?  😉

Eu penso que a Pomodoro não se aplica a todas as atividades e sim as que de fato precisam de concentração,  dedicação e foco. Não precisa de Pomodoro pra lavar louça ou responder emails corriqueiros, por exemplo.
Já para fazer, ou ler, um relatório, fazer um projeto,  arrumar um armário,  ou outra atividade que precise de total atenção,  a Pomodoro pode ser uma grande aliada para a sua produtividade. E isso depende mesmo da dinâmica de cada pessoa,  e você só vai saber se funciona pra você utilizando algumas vezes.

Experimente!! E me fala nos comentários como foi.

Um abraço,
Gheyza Oliveira

Esquece essa história de multitarefas

image

Cada vez mais os estudiosos de produtividade vem reforçando que não somos seres multitarefas (pois é mulheres nos engaram direitinho kkkkk). 
O fato de fazermos mil coisas ao mesmo tempo não significa que estamos de fato sendo produtivos como podemos ser. Muitas vezes levamos o dobro do tempo para fazer uma tarefa do que levaríamos se estivesse fazendo só ela.

Faz um teste: Cronometre o tempo que você leva para escrever um e-mail enquanto vê TV e fala ao telefone. Depois cronometra o tempo que leva só escrevendo o mesmo e-mail.

Você não consegue colocar sua atenção em diversas coisas ao mesmo tempo. Quantas vezes você já parou de ouvir a conversa no telefone por que algo no computador ou na TV te chamou a atenção? Sua atenção está sempre em uma única coisa, o que acontece é que sobra um resquício de ouvido ou olhar que te parece atenção. 
Quando tentamos fazer várias coisas concomitantemente o que acontece é que perde-se um tempo precioso a cada vez que muda de atividade e perde de novo quando volta, e isso impede que se concentre e renda o seu melhor potencial. Por que existe um tempo necessário para que o cérebro se desligue de um assunto e se concentre no outro. Se você está sempre alternando impede que o cérebro de fato foque e você produza de forma eficaz.

“Onde você foca expande” nos ensina a lei do foco.

Quando você se concentra em uma tarefa por vez, consegue potencializar as suas capacidades para realizá-la, o que leva a concluir muito mais rápido e com melhor qualidade. 

Depois de algum tempo com o foco só naquilo, seu grau de percepção e de concentração aumenta consideravelmente e o cérebro consegue fazer conexões que te auxiliam a chegar na solução ou conclusão do que está fazendo.

É claro, que no dia-a-dia moderno precisamos nos desdobrar em mil e fazemos muitas atividades “no automático”. Não há nada de errado nisso. Só que precisamos ter clareza que não significa que estamos fazendo da melhor maneira e muito menos da maneira mais rápida. Quantas vezes fez um relatório parando para atender telefone ou responder e-mail e depois viu que escreveu algo errado ou pulou palavras? Ou pior, perdeu a linha de raciocínio. 

Retrabalho é sempre uma perda de tempo.

Ah! Vamos combinar que as tarefas e ações que estão diretamente ligadas as suas prioridades NUNCA podem ser realizadas sem concentração e foco, afinal elas são prioridade, ok?.

Experimenta um dia essa semana fazer uma tarefa por vez e depois me conta aqui nos comentários como foi  😉

Um abraço,
Gheyza Oliveira