Caderno de Tarefas – O que é e como usar

Sempre reforço que sua mente foi feita para ter ideias e não para guardar tarefas e compromissos. E acredito nisso de verdade. Se ocupar o seu tempo, e pensamentos, lembrando das coisas que precisa fazer não vai sobrar espaço – nem tempo – para criar e inovar, além do que você convive com o risco iminente de esquecer algo o tempo todo. 

O caderno de tarefas entra como uma solução para essa questão.

O caderno de tarefas é uma ferramenta que foi muito usada por quem buscava se organizar há alguns anos, quando não havia os smartphones tão facilmente, e o Bullet Journal ainda não tinha virado febre. Hoje,  mesmo com o avanço da tecnologia, ainda é muito usado pelos amantes do papel.

Essa é a ferramenta que eu mais recomendo para quem está iniciando a jornada da organização. Aliado a uma agenda para os compromissos, pode mudar totalmente a vida de quem está buscando uma organização pessoal e, por consequência, aumentar a produtividade. 

Como o nome já diz é um caderno em que você anota as suas tarefas a serem realizadas, ele te acompanha o tempo todo para que você tenha agilidade para fazer esses registros. Pode ser um caderno simples – e até mesmo um bloco – com uma caneta. 

 Tenha – o sempre junto de você e anote nele tudo que lembrar que precisa fazer.  

Ao iniciar o dia, priorize três das tarefas que você anotou – que estejam diretamente ligadas aos seus objetivos estratégicos –  e as realize primeiro. Depois siga realizando as demais tarefas já anotadas, conciliando com seus compromissos e prazos.

Só não se iluda, a proposta aqui não é que você realize todas as tarefas em um dia. Primeiro por que novas tarefas surgem o tempo todo, segundo por que umas demandam mais tempo que outras e terceiro por que sempre haverá compromissos e interrupções no seu dia, é normal nos tempos atuais. A diferença é que o fato de você ter ali concentrado tudo que precisa ser feito te dará um alívio enorme, acredite em mim. 

Vale aqui que eu te ressalte que este é um caderno de tarefas e não de objetivos, ok? Considere como tarefa aquilo que você pode realizar com pouco tempo de dedicação, normalmente são pequenas e direcionadas, ou maiores que podem ser fragmentadas, tais como: retornar uma ligação, fazer a primeira parte de um relatório, ir ao mercado, pagar uma conta, marcar um médico, cobrar um retorno, e por aí vai.  

Eu sugiro que você divida o seu caderno em duas partes, no início para as tarefas imediatas e na parte final para ideias. Assim poderá ir riscando as tarefas realizadas sem ter ideias entre elas. E sem falar que o prazer de arrancar uma página por que todas as tarefas foram concluídas é enoooorme!!  😉

Como o caderno não tem o rigor de seguir uma ordem cronológica é muito importante que você revise suas anotações com regularidade, pois uma tarefa que você anotou por último pode ser mais estratégica ou urgente do que outras que já estavam anotadas no caderno. 

Para quem já usa algum aplicativo ou um planner o caderno funciona como um depósito, em que você anota as tarefas e ideias que depois serão direcionadas para a outra ferramenta com mais detalhes e prazo. 

Mais uma vez repito, se você está começando a se organizar adote o caderno de tarefas como primeiro passo. 

E você?  Já usou ou usa o caderno de tarefas ou algo similar? 

Ficou com alguma dúvida?  Me fala nos comentários.  

Anúncios

Registrar é essencial no gerenciamento das finanças 

Todo gerenciamento envolve ter dados que embasem as decisões e estratégias a serem adotadas. 

O mesmo acontece com as nossas finanças, não há como gerenciar seus ganhos e gastos se não tem informações sobre eles, sobre o quanto entra e quanto sai ou pra onde vai.

É necessário que registre seus gastos para que tenha as informações necessárias para gerenciar. 

Não estou dizendo que precisa anotar cada centavo que gaste – apesar de ser a forma ideal para quem vá começar a organizar as finanças – mas que tenha registrado, seja em papel, aplicativo ou planilha, para onde o seu dinheiro vai.

Quanto gasta com transporte?  Quanto gasta com alimentação?  Quanto foi a conta do mercado no mês passado?  E há 3 meses atrás?  Que gastos aumentaram? Onde pode cortar custos para aplicar em um investimento??  Quanto de defasagem seu salário sofreu nos últimos meses ou anos? Quantos são os juros do seu cartão?  E a anuidade?  E quilo do restaurante onde almoça? 

Essas perguntas só podem ser respondidas se você mantiver algum tipo de registro da sua vida financeira.  E são esses registros que irão embasar as suas decisões futuras. Seja para saber o quanto pode economizar para aquela viagem especial, para trocar de carro ou qualquer outro objetivo que tenha ou simplesmente para fazer escolhas mais econômicas de consumo. 

A planilha é a melhor opção por facilitar a consolidação desses itens, podendo até já gerar os gráficos se você tiver conhecimento do programa. 

Um aplicativo no smartphone garante agilidade, você já pode lançar uma despesa assim que ela acontece.  E a maioria deles também oferece consolidação por grupos de despesas ou receitas. 

Mas para quem é fã do papel, um caderno funciona super bem. Você pode até registrar no caderno os custos e depois lançar na planilha para ter uma visão mais ampla. 

De acordo com o seu perfil ou preferência inicie já o registro das suas finanças.  Seu dinheiro é muito importante e suado para ser levado pelo vento, não acha?  

Como você faz para registrar seus gastos? Ficou com alguma dúvida? 

Me conta nos comentários.